Cozinhando no Trecho: 10 dicas para usar o botijão no caminhão.

 

Você cozinha no seu caminhão?

 

Além de ajudar na economia durante as refeições, possuir uma caixa cozinha pode ser sinônimo de qualidade nas refeições, uma vez que o motorista tem a possibilidade de preparar alimentos frescos e saudáveis. Mas existem alguns cuidados que o estradeiro deve ter ao transportar um botijão na caixa cozinha de seu caminhão.

Este é um assunto que merece atenção, uma vez que o uso incorreto do equipamento pode causar acidentes tanto para o motorista como para outras pessoas que estejam ao redor do veículo.

É permitido que um botijão com o peso líquido máximo de 13 kg seja transportado no caminhão para uso pessoal. A orientação é baseada na Resolução 420/2004 da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

No entanto, o Regulamento de Transporte de Produtos Perigosos especifica que o botijão deve ser transportado na parte externa do compartimento de carga e longe de substâncias incompatíveis com o GLP, tais como níquel, carbonila e n-butano, a fim de evitar acidentes.

 

o_botijao_fica_longe_da_chama
O botijão precisa ficar longe da chama.

 

Transportar um botijão na caixa cozinha envolve ainda outros cuidados. Confira a seguir 11 dicas para transportar um botijão com segurança:

1. Evite transportar e armazenar o botijão de GLP deitado, na posição horizontal. Prefira sempre levá-lo em pé. Nunca deite o botijão de gás durante o uso. Ele deve permanecer na posição vertical (em pé) para evitar o vazamento do GLP;

2. Nenhum botijão (mesmo que vazio) deve ser exposto a temperaturas superiores a 50ºC;

3. Jamais conecte acessórios como fogareiros, lampiões e outros tipos de queimadores diretamente na válvula do botijão, pois isso pode derreter o plugue-fusível e causar incêndio. Para evitar acidentes, um regulador de pressão e uma mangueira específica devem ser instalados entre o botijão e o equipamento de queima;

nao_conectar_queimadores_direto_no_botijao
Transportar botijão na caixa cozinha com segurança é importante, mas usá-lo também.

4. As mangueiras e os reguladores de pressão possuem validade de 5 (cinco) anos (verificar data estampada na superfície destes dois equipamentos);

5. Use apenas a força da mão para apertar a borboleta do regulador;

6. Para afixar a mangueira ao regulador e ao equipamento de queima, use somente as abraçadeiras que acompanham o kit composto pelo regulador e mangueira. Nunca utilize arame ou outro material que possa danificar a mangueira;

7. Após a instalação do regulador, faça o teste de vazamento, passando espuma de sabão ao redor da conexão da válvula de saída de gás e do regulador de pressão;

8. Ao utilizar o botijão, mantenha-o em local arejado e distante do fogo (no mínimo 80 cm), porém com pouco vento para que a chama do queimador não se apague;

9. Após o uso do botijão e antes de armazená-lo no veículo, é importante realizar novamente o teste de vazamento com espuma na válvula onde é acoplado o regulador. Isso evitará que o botijão seja armazenado com um possível vazamento;

10. Caso haja vazamento, leve o botijão para um lugar ventilado, deixando o regulador de pressão de gás desconectado e chame a assistência técnica do seu fornecedor de gás ou algum revendedor autorizado próximo de sua localidade. Você também pode ligar para o SAC da companhia responsável pelo envase e distribuição do botijão, cujo telefone está estampado na etiqueta.

 

Matéria original no site do Trucão. Acessa lá!

Sonolência e Volante: Uma combinação perigosa

Todo motorista sabe da importância de dirigir sem sono para promover a segurança na estradas e por isso devem estar atentos também à qualidade do sono, pois de acordo com especialistas, conduzir um veículo com sonolência pode ser tão perigoso quanto encarar a volta para casa depois de beber algumas doses de álcool.

Dentro deste contexto, a expressão popular “bêbado de sono” tem uma parcela de verdade, porque pessoas que permanecem acordadas de 17 a 19 horas têm performance no volante pior do que aqueles que apresentam nível de álcool no sangue (BAC) igual a 0,05%. Enquanto quem fica 24 horas sem dormir tem reações similares a quem apresenta BAC igual a 0,10%, de acordo com estudo publicado no New England Journal of Medicine.

Estudos indicam que a quantidade de horas dormidas e o tempo que a pessoa está acordada influenciam diretamente em sua habilidade para guiar. Uma pessoa que dormiu 5,5 horas, apresenta 10 vezes mais chances de causar um acidente de trânsito em relação a outra que dormiu 8 horas. Já se o motorista dirigir de 15 a 20 horas após ter acordado, suas chances de cometer um acidente são 10 vezes maiores do que as cinco primeiras horas. Se ele passar o dia todo acordado e dirigir de 20h a 25h, as chances de um acidente sobem para 60 vezes. Segundo pesquisas, quem não dorme deixa de regular o organismo. Com isso, o fato de não dormir hoje e dormir o fim de semana todo, não compensa e nem repõe o que se deixou de regular.

Nos Estados Unidos, a sonolência é responsável por 1/5 dos acidentes, o que representa uma ocorrência a cada dois minutos. O sono acontece devido a produção do hormônio melatonina. Ao fecharmos os olhos ou num ambiente de penumbra, o hormônio começa a ser produzido, o período com maior concentração é entre 2h e 3h (EV).

Artigo original: O Carreteiro